Não torçam para que isso aconteça

2 de outubro de 2020, 23:58

Trump infectado é um problema para a direita mundial, às vésperas da eleição de novembro, mas pode ser também uma solução.

Há uma hipótese que pode salvar a direita clássica americana, a do conservadorismo sulista que nunca absorveu Trump como um legítimo republicano.

Esse seria o cenário. Trump acaba sendo derrotado pela Covid, mas sem demora. Teria de ser já, para que as soluções fossem encaminhadas. O partido chamaria uma convenção virtual e extraordinária e escolheria outro candidato.

Esse substituto (eles têm pelo menos uns 10 na fila) seria uma espécie de antiTrump, alguém que faria o resgate do perfil
histórico do partido.

Seria um conservador religioso, anticomunista e pró-guerra, mas não declaradamente machista, anticiência, homofóbico, supremacista e xenófobo.

Haveria uma comoção nacional entre a direita e os extremistas de direita, e os republicanos usariam a morte de Trump e a choradeira para chegar com tudo à reta final.

Por isso, a morte de Trump, desejada por muita gente das esquerdas no mundo todo, pode ser ruim para os democratas, com Joe Biden sete a oito pontos à frente nas pesquisas.

Os democratas deveriam torcer para que Trump sobreviva, mas saia da quarentena como um pato manco.

Se não for assim, se os republicanos puderem escolher outro candidato, o conservadorismo será ressuscitado.

A democracia mundial não precisa desse defunto. Trump deve sobreviver.

………………………………………………………………………………………………………………………….

OS GORDINHOS
Davi Alcolumbre foi o primeiro gordinho famoso do Brasil a escapar da Covid-19. Pegou a doença lá em março, foi pra casa, começou a cuidar dos apoios que permitiriam sua reeleição à presidência do Senado e se safou.

Rodrigo Maia, outro fofinho, foi infectado na semana passada e também está escapando e vai se reeleger presidente da Câmara.

Boris Johnson foi o primeiro famoso negacionista mundial e obeso a escapar. Johnson tem o mesmo peso de Trump, 110 quilos.

Se Trump também sobreviver, os obesos terão o grande exemplo de que é possível enganar as preferências do vírus. Ou pode ser a confirmação de que só escapam os gordos que são da direita?

Dos gordinhos citados antes, só Johnson teve problemas sérios. Os outros enfrentaram uma gripezinha.
Qual foi o obeso famoso de esquerda que sobreviveu?

Escrito por:

Moisés Mendes é jornalista de Porto Alegre e escreve no blogdomoisesmendes. É autor de ‘Todos querem ser Mujica’ (Editora Diadorim). Foi editor de economia, editor especial e colunista de Zero Hora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *